BLOG

21 regras de SEO que irão colocar seu site em destaque no ranking do Google

Você sabia que seguir apenas algumas regras de SEO já faz a diferença no posicionamento do seu site?

Sem dúvida alguma, quem conduz uma estratégia de produção de conteúdo quer ver suas produções em destaque nos mecanismos de buscas, e aí entra em cena o SEO (Search Engine Optimization), em uma tradução literal significa Otimização dos Motores de Busca. 

Na prática, o SEO é um conjunto de técnicas que fazem seu conteúdo ter um melhor posicionamento dentro de mecanismos de busca como o Google


Se você não sabe o que é SEO e como ele funciona, nós temos um blog post sobre o assunto que pode te ajudar a resolver essas dúvidas. CLIQUE AQUI e leia o texto completo 🙂


Porém, nós sabemos – e você também: aparecer nas primeiras colocações em um resultado de busca não é um trabalho simples. Para começar, é importante compreender como o Hummingbird, o algoritmo do Google, funciona e otimizar seus conteúdos com técnicas de SEO para blog.

O Google tem mais de 200 fatores de ranqueamento, e você precisa conhecer aqueles que são essenciais para atrair mais tráfego orgânico para o seu blog.

Afinal, não basta criar um bom texto, selecionar as melhores imagens, e publicar um conteúdo incrível, se ninguém tiver acesso a ele.

Para ajudar você a melhorar o posicionamento do seu blog no ranking do Google, selecionamos 21 regras de SEO que irão fortalecer sua estratégia. Confira!

21-regras-de-seo

1. Palavras-chave

Primeiramente, antes de começar a escrever seu texto, faça uma breve pesquisa de palavras-chave relacionadas ao seu conteúdo. 

Elas vão ajudar a potencializar o seu texto, mas é importante não exagerar. Isso porque o Google interpreta o uso excessivo de palavras-chave, classificando o conteúdo como menos relevante e deixando seu artigo cada vez mais mal posicionado. 

Variar no uso de palavras-chave também é bom, então use ferramentas como o Google Trends, Google ADS e o Ubersuggest, que são mecanismos que mostram as palavras mais usadas no momento para cada assunto.

2. Long tails

Long Tail – ou cauda longa – são as palavras-chaves específicas e menos usadas na escrita de determinados temas. Invista em palavras que são menos concorridas sobre o seu tema, isso pode te ajudar a rankear melhor.

Por exemplo, em vez de usar somente “rankeamento SEO”, opte por uma palavra-chave long tail: “como rankear melhor no Google usando SEO”.

3. Título 

Em seguida, vamos falar de algo muito importante, afinal, é aqui que o leitor tem o primeiro contato com o seu conteúdo. O título serve como uma “isca” para “pescar” o seu leitor, por isso é importante pensar em um bom título que atraia os leitores para o seu blog. 

É essencial que fale sobre o seu conteúdo, mas não pode ser muito longo já que o Google possui um limite de caracteres e pode acabar cortando o seu título na página de pesquisa. Portanto, crie títulos com até 55 caracteres

4. Subtítulos

Eles auxiliam na divisão do seu conteúdo e permitem a separação do conteúdo em blocos, facilitando a experiência do usuário e deixando a leitura mais leve. Lembre-se que os subtítulos também devem conter palavras-chave, para otimizar o rankeamento. 

5. Originalidade

Escreva conteúdos autênticos. Afinal, o Google costuma levar isso em consideração na hora do rankeamento e posicionamento dos sites. Se precisar citar frases de terceiros, faça o uso de aspas.

6. Estrutura do artigo

Saiba estruturar seu artigo. Por exemplo, faça uso de heading tags (h1, h2, h3…): os subtítulos ajudam na estrutura e na hierarquização do assunto, mostrando o grau de importância de cada tópico. 

Com essa estrutura, é possível tornar a leitura mais fluida para os usuários e também para os mecanismos de buscas, melhorando a posição da marca no ranking.

7. Desenvolva bem seu conteúdo

Busque fugir da superficialidade, aprofunde o seu conteúdo. Não há um tamanho ideal de blogpost, mas seu artigo deve ter, no mínimo, 500 palavras: esse é o tamanho mínimo para que o conteúdo seja indexado corretamente no Google.

8. Escrita de qualidade

Ter um texto bem escrito é essencial. Isso porque o Google consegue interpretar erros gramaticais em diversos idiomas, sem contar que ler um texto com muitos erros também é desagradável para o leitor.

9. Invista em Pillar Pages 

Uma espécie de hub de conteúdos associados à uma palavra-chave do negócio: essa é uma das melhores definições para a Pillar Page. 

Ou seja, elas apresentam os conteúdos centrais sobre determinados temas do seu nicho.

Os conteúdos secundários relacionados a ela irão abordar profundamente e em detalhes assuntos ligados a essa palavra-chave, direcionando para outros artigos por meio de links. 

10. Links internos

São aqueles que direcionam o usuário para outra página de mesmo domínio. Essa técnica de SEO ajuda a mostrar ao Google quais páginas suas são importantes.

É importante ressaltar que essa linkagem deve ser relevante e complementar ao assunto que está sendo tratado, pois trata-se da página para qual o usuário será redirecionado.

Utilize texto âncora para os links internos e fuja do “clique aqui”, em contrapartida, insira os links em palavras que tenham a ver com o conteúdo para qual você pretende direcionar seu leitor.

11. Links externos

Trazem autoridade e relevância para o seu assunto, mostram que você sabe sobre o que está falando. Links de pesquisas, por exemplo, mostram dados úteis e de sites especializados são um diferencial e deixam seu texto com um ar mais sério.

12. Conserte seu site

Revise links, já que alguns podem estar quebrados e redirecionar o leitor para páginas que não existem mais, ou que apresentam algum tipo de erro. Isso torna péssima a experiência do leitor e faz com que seu site diminua posições no ranking do Google.

13. Meta descrição

É uma pequena chamada – de até 155 caracteres – que vai aparecer logo abaixo do título e do link da página nos resultados do Google. É ali que fica contido o resumo sobre o assunto que sua página aborda.

Quando o usuário pesquisa por determinada palavra-chave, ela aparece em negrito na meta descrição e assim atrai a atenção para o seu texto.

14. Otimização mobile

Muitos usuários acessam sites e blogs por meio de smartphones, por isso é importante pensar em um design ideal para esses aparelhos. Sites mais leves e que não consumam tantos dados também são um diferencial.

15. Estrutura de URLs

A URL da sua página faz diferença! Então é importante se atentar a alguns detalhes, como:

  • Palavra-chave na URL: ao fazer isso você chama a atenção do usuário para o seu conteúdo. Além de torná-la amigável, isso facilita pois auxilia no mecanismo de busca do Google;
  • URL curta: evite deixar ela longa, use no máximo 5 palavras;
  • Como escrever a URL: para separar as palavras use hífen, não use acentos e nem letras maiúsculas.

Por exemplo: https://agenciahugz.com.br/21-regras-de-SEO

16. Clusters de conteúdo

Em uma tradução literal “cluster” significa grupo ou aglomerado, é basicamente como uma teia da informação. Isso porque os conteúdos textuais e/ou visuais se conectam, se complementam e acabam por se ligar uns aos outros conforme o assunto vai se desenrolando.

Essa técnica de SEO ajuda a reconhecer o contexto no qual as palavras estão inseridas. Assim, o conteúdo se retroalimenta e faz com que os mecanismos de SEO reconheçam que o material é confiável. 

17. Velocidade de carregamento

Sites lentos e que demoram a carregar levam o usuário a ter uma péssima experiência e podem deixar seu conteúdo em uma baixa posição no rankeamento do Google. Então, vale otimizar o site periodicamente. 

18. Conteúdo evergreen

Em uma tradução literal significa “sempre verde”, ou seja, são aqueles que nunca envelhecem, se mantêm relevantes e que possuem um longo prazo de validade. 

Mesmo que passem anos continuam atraindo cliques, o que aumenta o tráfego orgânico da página. São exemplos os conteúdos com listas, post de curiosidades e até com dicas de filmes.

19. Alt text

Alt text, ou texto alternativo, é o texto usado na descrição da imagem. Mas isso não é apenas uma legenda. Ou seja, ele deve descrever o conteúdo e também o contexto da imagem pois isso auxilia no rankeamento do seu conteúdo. 

Afinal, os mecanismos estão cada vez mais treinados para a leitura de imagens, sem contar que o uso de imagem proporciona uma quebra de texto e torna a leitura do seu conteúdo mais agradável.

20. Buzz Content

São os assuntos em alta, que estão entre as tendências no momento. Os temas que mais estão sendo comentados e, por isso, tem alto poder de gerar engajamento e discussão em volta do tema.

21. Certificados de segurança

Por fim, invista em certificados SSL ou HTTPS, pois a segurança é um dos fatores que melhora o posicionamento do seu site. Isso porque os algoritmos valorizam as conexões seguras e criptografadas.

Como vimos até aqui, são muitas as regras que podem ser seguidas para otimizar o rankeamento do seu conteúdo no Google. Então, aproveite-as para dar aquele gás e melhorar o posicionamento da sua marca. 

Use essas regras de SEO para fazer seu site crescer!

Estar presente no mundo digital deixou de ser um diferencial e passou a ser uma necessidade. Agora, pensar no sucesso do seu site pode significar ser lembrado ou esquecido pelos seus consumidores.

Se você tiver interesse em saber de outras dicas que vão fazer toda a diferença no seu site, esperamos que possa ler nosso artigo sobre o assunto, clicando aqui.

21-regras-de-seo

Compartilhe:

EnglishGermanPortugueseSpanish